Tudo sobre pneus

All you need to know about tyres from A-Z:

Indicador de Desgaste do Pneu (TWI)

Os Indicadores de Desgaste do Pneu são barras elevadas nos sulcos longitudinais em volta do pneu. Se o padrão de desgaste chega a 3 mm para pneus de verão e 4 mm para pneus de inverno, os Indicadores de Desgaste nivelam com o padrão de desgaste. Indicadores de desgaste também são colocados a 1,6 mm, a profundidade de desgaste mínima para pneus de verão e inverno. Recomendamos que você troque os pneus se os seus pneus de inverno chegarem a uma profundidade de 4 mm e os seus pneus de verão a uma profundidade de 3 mm.

Aquaplanagem

A área de contato do pneu com a estrada é reduzida quando há água na pista. Em casos extremos, o veículo aquaplana (desliza) na água, reduzindo drasticamente o controle do veículo. Pneus têm padrões especiais que garantem a drenagem ideal da água para longe da superfície de impacto. Esse efeito reduz proporcionalmente conforme a velocidade aumenta. A proteção mais eficaz é ajustar velocidades às condições do tempo.

Padrão de Impacto Assimétrico

Um pneu assimétrico é um pneu com padrão que não forma uma simetria linear ou simetria de ponto com sua linha central; assim, ele tem uma borda interna e externa distintas. Pneus assimétricos podem ser montados em ambos os lados do veículo. Uma vez que o padrão de diversos pneus normais não forma simetria em relação ao ruído de design ou do padrão, o método de montar pneus é descrito especialmente.

Designação do tamanho do pneu

No caso de um pneu 185/65R14, os números significam o seguinte: 185 = largura do pneu em milímetros; 65 = a proporção da altura em relação à largura em percentagem; R = construção radial; 14 = diâmetro do aro em polegadas.

Distância de frenagem

A distância necessária para frenagem depende da velocidade do veículo, da condição da superfície da estrada e da condição dos pneus – especificamente a rodagem. Verifique a profundidade de rodagem do pneu regularmente e troque os pneus quando eles se desgastarem até os indicadores de desgaste localizados no fundo dos sulcos de rodagem.

Número serial DOT

O símbolo DOT certifica a conformidade do fabricante do pneu com as normas de segurança de pneu do Departamento de Transporte dos EUA. O número serial DOT é localizado na parte inferior do pneu, somente em um lado. Segue abaixo uma descrição do número de serie. A partir do ano 2000, quatro números indicam a data de fabricação – os dois primeiros números identificam a semana e os últimos dois números identificam o ano de fabricação. Antes do ano 2000, três números indicam a data de fabricação – os dois primeiros números identificam a semana  o último identifica o ano de fabricação. Para identificar pneus fabricados nos anos 90, um símbolo de década (triângulo na lateral) está localizado no final do número de serie DOT.

Por exemplo: DOT NJ HR 2AE2 529 529 = data de fabricação, exemplo: 529 (52a semana de 1999) ou 5200 (52a semana de 2000). 2AE2 = código do tipo de pneu (codificação do tipo de pneu, opcional por fabricante). HR = número de código do tamanho do pneu. NJ = código de identificação da fábrica. DOT = símbolo de referência (certifica a conformidade da fabricação do pneu com as normas de segurança de pneu do Departamento de Transporte dos EUA).

Direção de rotação

Em pneus padrão com padrões de rodagem simétricos, não importa como o pneu é encaixado no aro e em que posição ele é encaixado no carro. No entanto, alguns fabricantes de pneus começaram a produzir pneus com indicações específicas de rotação, a fim de melhorar a aderência em piso molhado e otimizar a geração de ruído. O sentido de rotação é marcado ao lado do pneu com uma seta. Este lado do pneu deve estar do lado de fora, e o pneu deve rodar para a frente na direção da seta para um melhor desempenho dos pneus. Alguns pneus com padrões de rodagem assimétricos também estão disponíveis sem um sentido específico de rotação.

Impacto de temperatura

A vida útil de um pneu é uma função cumulativa das condições de armazenamento e de serviço às quais um pneu é sujeito em sua vida útil (por exemplo, carga, velocidade, pressão de calibragem, danos de estrada, influências ambientais etc.). Uma vez que as condições de serviço e a manutenção do pneu podem variar bastante, prever com exatidão a vida útil de qualquer pneu específico não é possível.

A influência de temperaturas mais elevadas sobre a vida útil do pneu pode ser de dois tipos:

(i)               Influência de temperaturas de pico normalmente mantida apenas durante curtos períodos de tempo. Tais temperaturas de pico são tipicamente alcançadas em aplicações de alta velocidade. A capacidade do pneu para suportar tanto calor e / ou para dissipar esse calor é verificada e avaliada pelo fabricante do pneu e indicada pelo símbolo de velocidade do pneu conforme escrito no flanco do pneu como parte de sua descrição do serviço.

(ii)                A influência da exposição ao tempo/temperatura. Quanto mais um pneu é exposto a temperaturas mais altas, mais provável é que apresente mudanças para pior em materiais e propriedades. Além disso, quanto mais altas as temperaturas, mais rapidamente essas mudanças ocorrerão. Tais mudanças podem reduzir a robusteza/resistência à fadiga, o que pode resultar em danos ao pneu. General Tire recomenda o seguinte para condições de armazenamento de pneus: evitar armazenar pneus onde eles forem sujeitos a temperaturas extremas. Armazene pneus em temperaturas que não excedem 35ºC (95ºF), de preferência abaixo de 25ºC (77ºF). As temperaturas de operação do pneu podem ser mais altas. No entanto, quanto mais um pneu é exposto a temperaturas mais altas, mais curta é a sua vida útil.

General Tire recomenda remover de circulação todos os pneus fabricados há mais de dez anos. Se o pneu foi sujeito a alguma exposição de tempo/temperatura significativa, General Tire também recomenda que o pneu seja removido de operação mais cedo. Se um cliente não tiver certeza quanto a um pneu ser removido de circulação ou não, ele deve enviá-lo para inspeção por um especialista em pneus imediatamente. Conforme estabelecido pela NHTSA (National Highway Traffic Administration of the USA) e ASTM (Association for Standardization of Testing Methods), manter um pneu a 65ºC em certas condições definidas como severas por uma duração de cinco semanas pode representar o envelhecimento de um pneu em um clima extremamente quente ao longo de quatro a seis anos. Outro item a ser considerado é a influência de temperaturas extremamente frias. Temperaturas muito frias (abaixo de -30ºC/-22ºF para pneus de verão/alto desempenho e abaixo de -50ºC/-58ºF para pneus de inverno/qualquer temporada) podem levar à fragilidade. Portanto, pneus em temperaturas extremamente frias devem ser aquecidos cuidadosamente antes do uso.

Rótulo de pneu da UE

A partir de novembro de 2012, um rótulo padrão para pneus de veículo tornou-se obrigatório na Europa. O rótulo de pneu da UE se baseia em três critérios e fornece informações sobre as características ambientais e de segurança do pneu visando aumentar a segurança na estrada e reduzir o consumo de combustível.

O rótulo do pneu geralmente se aplica a pneus de carros, SUVs, vãs e caminhões. O rótulo de pneu é significativo somente para pneus de inverno, uma vez que as propriedades de inverno não são aparentes.

O rótulo do pneu não se aplica a pneus recauchutados ou pneus que não são autorizados para estradas, como pneus de corrida, pneus estepe e pneus para carros clássicos.
Testes de pneus feitos por revistas de automóveis continuam a ser um meio de informação importante para o consumidor, por testarem até 11 propriedades do produto relativas à segurança, ao invés dos três critérios indicados no rótulo.

Pneus para todas as estações

A classificação de pneus para todas as estações é um ajuste entre um pneu desenvolvido para uso em estradas secas e molhadas durante o verão e um desenvolvido para uso em condições de inverno. O tipo de borracha e do padrão de rodagem mais adequado para uso em condições de verão não pode, por razões técnicas, proporcionar um bom desempenho em neve e gelo. O pneu para todas as estações é um ajuste, não sendo nem um excelente pneu de Verão nem um excelente pneu de Inverno. Pneus para todas as estações também são marcados para lama e neve do mesmo modo que os pneus de Inverno, mas raramente com um floco de neve. Devido ao ajuste em termos de desempenho durante o verão, o desempenho de inverno é geralmente mais fraco do que o de um pneu de Inverno.

Símbolo de velocidade

Classificações de velocidade para pneus são identificadas por meio de um símbolo de velocidade indicado na parede lateral de um pneu. Apesar de um pneu poder apresentar uma classificação de velocidade, os fabricantes de pneus não endossam a operação de qualquer veículo de forma insegura ou ilegal. Além disso, as classificações de velocidade do pneu não implicam que um veículo pode ser conduzido com segurança na velocidade máxima para a qual o pneu é classificado, nomeadamente no âmbito da estrada e em condições climáticas adversas ou se o veículo tem características incomuns. Classificações de velocidade são baseadas em testes de laboratório que se relacionam com o desempenho na estrada, mas não são aplicáveis se os pneus estão descalibrados, sobrecarregados, desgastados, danificados ou alterados.

Tração

Aderência refere-se ao quanto de tração de um pneu tem na estrada. A superfície do pneu 'morde' na superfície do solo para garantir a estabilidade de condução e o desempenho da frenagem. As propriedades do material, a estrutura de rodagem e a  pressão do ar correta dos pneus são os fatores mais importantes para alcançar a aderência necessária. Por um lado, o composto de borracha deve ser macio o suficiente para se adaptar à irregularidade do asfalto a um nível micro; por outro lado, a estrutura dos blocos de rodagem (para-brisas em pneus de Verão e lamelas em pneus de Inverno) deve evitar que o pneu deslize na chuva ou na neve. Elevadas velocidades e condições molhadas aumentam notavelmente o risco de perda de aderência. Por esta razão, as propriedades de aderência em pavimento molhado de um pneu são, muitas vezes, o fator decisivo quando se trata de separar best-sellers de produtos desclassificados em testes de pneus de Verão.

Data de fabricação

A data de fabricação de um pneu é indicada na latera do pneu ao final do número de série DOT (ver número de série DOT). Fabricantes de pneu adotaram um sistema de identificação padrão: quatro números que indicam a semana e o ano de fabricação. Por exemplo, o número 0201 indica que o pneu foi feito na segunda semana do ano 2001.

Invólucro

Pneus modernos são feitos de muitos materiais e componentes diferentes. Esquematicamente, há a cobertura externa – a rodagem e parte lateral – e a substrutura, o invólucro. Componentes de invólucro podem incluir aço e/ou camadas têxteis, o revestimento interno (para tornar pneus sem tubo herméticos), partes laterais, ápices, núcleo (mantém o pneu no aro) e o reforço.

Correntes

Mesmo modernos pneus de inverno às vezes podem ser de pouca valia quando há grandes quantidades de neve e declives acentuados. Nestas situações, a tração, o controle lateral e a frenagem segura exigem correntes nos pneus. Para estar preparado, recomenda-se tentar encaixar correntes em uma “rodagem de teste". Correntes de neve devem ser estendidas sobre as rodas motrizes. Observe também que a velocidade máxima é dada. Com alguns pneus rebaixados, o espaço reduzido entre os pneus e o arco da roda pode não deixar espaço para o encaixe de correntes de neve.

Lamelas

Os blocos de rodagem de um pneu têm pequenas fendas chamadas lamelas. Lamelas podem abrir e fechar, otimizando a tração e as forças de frenagem aplicadas na estrada (efeito de borda de aderência). Lamelas são principalmente importantes para pneus de inverno, garantindo melhor aderência em superfícies com lama de neve, gelo e molhadas.

Índice de carga ou gama de carga

Estes símbolos estão nas partes laterais do pneu indicando sua capacidade de carregamento.

Pegada (superfície de rodagem)

A pegada ou superfície de rodagem é a parte do pneu que entra em contato direto com a estrada. Ela é pré-vulcanizada e então aplicada à carcaça do pneu por uma borracha adesiva. Forças de frenagem e tração são transferidas do veículo para a estrada por meio da pegada.
Os componentes de rodagem do pneu (blocos de rodagem, nervuras e sulcos) são localizados na pegada, enquanto os blocos de rodagem são concebidos como a porção positiva, e os sulcos de rodagem como a porção negativa. Pegadas diferem bastante entre si dependendo do seu uso pretendido (pneus off-road, pneus de estrada, pneus de corrida). Também há diferenças entre pneus de verão e de inverno. Na legislação alemã (Regulamento de Tráfego ou StVO), somente pneus com rodagem na pegada são permitidos em estradas públicas.

load index and speed symbol
Quilometragem

Para otimizar a quilometragem dos seus pneus, você deve verificar regularmente a pressão do ar e a profundidade de rodagem e inspecionar os pneus quanto a danos, garantir uma montagem correta e observar o seguinte: se os pneus do eixo motor estão sujeitos a um desgaste mais pesado do que os pneus de rolamento livre. Por esta razão, os pneus devem ser rodados tal como recomendado pelo fabricante do veículo a fim de assegurar um desgaste uniforme e minimizar os custos desnecessários de manutenção de veículos. Você deve sempre verificar o equilíbrio dos seus pneus quando você remontar pneus de Verão ou de Inverno do armazenamento, a fim de garantir uma condução confortável e evitar possíveis impactos de peças de chassis de veículos (ver balanceamento).

Pressão do ar

A pressão dos pneus desempenha um papel definitivo na vida útil e no desempenho seguro dos seus pneus: descalibrados ou com super calibragem reduz a aderência dos pneus, causando desgaste de rodagem excessivo ou irregular e manipulação prejudicial. Se a pressão de calibragem for inadequada para a carga a ser transportada, a temperatura do pneu aumentará, o que pode resultar em dano estrutural ao pneu e até mesmo falhas no pneu. Uma vez que 50% de todos os veículos de passageiros rodam com pneus com a pressão de ar errada, a vida útil do pneu é significativamente reduzida. * Os efeitos positivos da pressão dos pneus correta em relação à recomendação do fabricante do veículo são a economia de combustível, características de condução e a vida útil do pneu. Para encontrar a pressão correta dos pneus para o seu veículo, consulte o manual do proprietário do veículo, a tampa do tanque de combustível, a porta do carro ou o porta-luvas. Recomenda-se verificar a pressão dos pneus a cada duas semanas e ajustar conforme necessário. Não se esqueça de verificar o pneu sobressalente temporário/ de emergência. Observe também as informações suplementares do fabricante do veículo sobre pneus de reposição temporária/ de emergência.


* Pressão do pneu em relação à recomendação do fabricante do veículo.

Símbolo M+S

Pneu de neve” significa um pneu cujo padrão de rodagem, composto de rodagem ou estrutura são concebidos principalmente para alcançar, em condições de neve, um desempenho melhor do que o de um pneu normal em relação à capacidade de iniciar ou manter o movimento do veículo.

Encaixe

Recomenda-se que todos os quatro pneus sejam do mesmo tamanho, construção e graduação de velocidade. Se os pneus forem de diferentes gradações de velocidade, a capacidade de velocidade do veículo será limitada ao pneu de velocidade mais baixa. Recomenda-se que os pneus de graduação de velocidade mais baixa sejam colocados no eixo frontal. Isso deve ser feito para evitar uma possível condição de sobre-rodagem. O manuseio do veículo também pode ser afetado.

Encaixe misto

Quando um veículo tem dimensões diferentes de pneus que equipam os eixos dianteiro e traseiro, dizemos que há encaixes de pneus mistos. Muitos modelos de veículos poderosos já vêm de fábrica equipados com encaixes de pneus mistos. Além da estética esportiva que esta configuração fornece, uma mistura no tamanhos de pneus também aumenta a segurança de condução. Embora a tração traseira se beneficie com a melhor aderência de uma pegada larga, pneus dianteiros menores ajudam a manter o carro em segurança na estrada (quanto mais estreitos os pneus, mais fácil a direção). No entanto, uma desvantagem desta configuração é que os pneus não podem ser rodados no sentido do eixo durante a troca de pneus sazonal (uma prática que seria benéfica para o desgaste uniforme).

Pneus off-road

Pneus off-road são pneus especificamente concebidos para uso em vias não pavimentadas. Sua rodagem é relativamente irregular para manter a aderência sobre terreno lamacento e arenoso. Veículos para todos os terrenos e SUVs (veículos utilitários esportivos) são primariamente montados com pneus de rodagem pesada.

Rodízio

Consulte o manual do proprietário do veículo para descobrir o padrão de rodízio recomendado e o intervalo recomendado para o seu veículo. Recomenda-se que você faça rodízio com seus pneus a cada 6.000 a 8.000 milhas, ou antes, se o desgaste desigual do piso começar a aparecer. O objetivo do rodízio regular é obter o desgaste de rodagem mais uniforme em todos os pneus do seu veículo. Se os pneus demonstram desgaste de rodagem irregular, peça que o funcionário de suporte verifique e / ou corrija qualquer alinhamento ou outros problemas mecânicos antes do rodízio. Isto é verdade tanto para veículos de tração frontal e de tração traseira. Pneus de reposição de tamanho completo devem ser incluídos no padrão de rodízio para o seu veículo. Peças compactas (peças de uso temporário) não devem ser incluídas no padrão de rodízio.

Rodagem

A rodagem é a arte do pneu com padrão de sulcos em contato com a estrada. A rodagem é concebida especificamente para fornecer tração de parada, partida, curvas e desgaste no longo prazo.

Profundidade de rodagem

A distância medida da superfície de rodagem ao fundo dos sulcos principais no sentido oposto dos indicadores de desgaste. Geralmente especificada em milímetros.

Pneu radial

Pneus radiais têm cabos que passam pelo pneu perpendicularmente aos talões. Pneus radiais têm camadas estabelecidas diagonalmente sob a dobra para estabilizar e fortalecer a área de rodagem e dar flexibilidade à parte lateral. Ao restringir o movimento de rodagem durante o contato com a estrada, as camadas de revestimento aumentam a vida útil da rodagem e a tração, além de melhorar o manuseio.

Vida útil do pneu

A vida útil de um pneu depende das condições de armazenamento, rotação e serviço. Uma vez que as condições de serviço variam bastante, prever a vida útil de um pneu não é possível. A maior parte das fabricantes de pneus usam um sistema de codificação comum para verificar quando o pneu foi feito. Este código está na lateral do pneu. Em pneus produzidos a partir de 1999, os últimos quatro dígitos identificam a data de fabricação: os dois primeiros dígitos são a semana de fabricação e os dois últimos são o ano. Por exemplo, um pneu marcado 2214 foi feito na 22a semana de 2014. Todos os pneus (incluindo estepes) fabricados mais de dez anos atrás devem ser substituídos, mesmo se parecerem utilizáveis externamente e se a rodagem não chegar ao desgaste mínimo. O mesmo se aplica ao estepe.

Construção do pneu

Um pneu moderno é feito de:
Montagem de rodagem/correia, incluindo:
1) Rodagem – garante alta quilometragem, boa aderência na estrada e expulsão de água
2) Camadas sem junta – permitem altas velocidades
3) Camadas de correia de aço – otimizam estabilidade direcional e resistência de rolamento
Invólucro, ajuste:
4) Camada de cabo têxtil – controla a pressão interna e mantém a forma de pneu
5) Revestimento interno – torna o pneu hermético
6) Parte lateral – protege de danos externos
7) Reforço de talão – promove a estabilidade direcional e resposta de condução precisa
8) Ápice do talão – promove estabilidade direcional, desempenho de condução e nível de conforto
9) Núcleo do talão – garante o assento firme sobre o aro

Marcas de pneu

Significados de códigos nos pneus:
1) 255/50 R20 V
255: Largura nominal em mm
50: Proporção de aspecto nominal (altura do pneu é 50% da largura do pneu)
R: Símbolo de pneu radial
20: Código de diâmetro do aro (em polegadas)
109: Índice de carga “109” = a carga máxima desse pneu é de 1030 kg
V: símbolo de velocidade, indicando que a velocidade máxima V = 240 km/h. Outras informações podem ser adicionadas após a marcação de tamanho: “REFORÇADO” ou “CARGA EXTRA (XL)” para pneus reforçados, “M+S” para pneus de inverno. O símbolo dos Alpes identifica pneus de inverno segundo regulamentos da UNECE (válido na UE e em outros países) e os regulamentos de pneus dos EUA e do Canadá.
2) Sem tubos: Sem tubos (pneus do TIPO TUBO devem ser montados com tubos).
3) M+S: “Pneu de neve” significa um pneu cujo padrão de rodagem, composto de rodagem ou estrutura são concebidos primariamente para obter, em condições de neve, um desempenho melhor do que o de um pneu normal quanto a sua capacidade de iniciar ou manter o movimento do veículo.
4) 224253: Número de aprovação segundo o regulamento ECE relevante.
5) 1414: Código de produção (“14” significa 14a semana, “14” significa 2014).
6) TWI: TWI = Tread Wear Indicator. Nervuras cruzadas espaçadas uniformemente na circunferência do pneu nos sulcos de rodagem longitudinais principais que nivelam com a superfície de rodagem quando a profundidade de rodagem remanescente chega a 1,6 mm.
7) E4: Marcação segundo regulamentos UN/ECE. O número depois do E no círculo indica o país de homologação; E4 (4 = Países Baixos).

 

O símbolo E4 está do outro lado do pneu e, assim, não é visível aqui.

Pressão do ar

Verifique a pressão dos pneus pelo menos uma vez por mês e antes de viagens mais longas. Realize esta verificação quando os pneus estão frios (após o veículo ter ficado parado por três horas e depois de ser conduzido por menos de dois quilômetros). Ajuste a pressão dos pneus na pressão especificada pelo fabricante do veículo, desde que os pneus estejam frios. Nunca deixe escapar o ar ou reduza a pressão dos pneus quando os pneus estão quentes. A pressão de ar elevada é normal durante a condução. Use um medidor de pressão dos pneus preciso para verificar a pressão de ar e manter a pressão no nível recomendado pelo fabricante do veículo. Não se esqueça de verificar também o pneu estepe. Peças de pneus requerem uma maior pressão de ar. Atenção: a pressão do ar demasiado baixa é a causa mais comum de danos por perda súbita de ar nos pneus e pode levar a perda inesperada de controle sobre o veículo, bem como a acidentes.

Medidor de pressão para pneu

Um medidor de pressão para pneu é um medidor de pressão usado para medir a pressão de pneus em um veículo. Uma vez que pneus são graduados para cargas específicas em uma pressão específica, é importante manter a pressão do pneu no valor ideal. Pneus são graduados para sua pressão ideal quando frios, o que significa antes do pneu ser conduzido no dia e aquecido, o que muda a pressão interna do pneu devido à expansão de gases.

Remoção de pneus


Pneus são retirados de circulação por motivos diversos, incluindo desgaste de rodagem até à profundidade mínima, danos ou abuso (punções, cortes, impactos, rachaduras, saliências, descalibragem, sobrecarga, etc.). Portanto, os pneus devem ser inspecionados rotineiramente. Os consumidores devem estar cientes da condição visual de seus pneus e alertas para qualquer alteração no desempenho dinâmico, como aumento da perda do ar, ruído ou vibração. Tais mudanças podem ser um indicador de que os pneus devem ser imediatamente retirados de circulação.

Recomenda-se encaixar o mesmo tipo de pneus do mesmo fabricante com o mesmo padrão de rodagem em todas as quatro rodas, uma vez que isso garante manipulação superior e melhor desempenho de frenagem em todas as condições de condução.

speed symbol
Tamanho dos pneus

Na Alemanha, os tamanhos de pneu aprovados são especificados no registro de veículo entre os pontos 20 e 23. Tamanhos de pneu adicionais e recomendações especiais (restrições a certos fabricantes de pneus e configurações de rodagem) também podem ser observadas no ponto 33. A nova documentação de veículos na Alemanha não elenca todos os tamanhos de pneu possíveis. Veículos registrados na Alemanha depois de 1o de outubro de 2005 são emitidos com um novo tipo de documentação. O Zulassungsbescheinigung I (Certificado de Registro I) é emitido no lugar do registro de veículo anterior. A nova documentação do veículo não contém todas as informações especificadas no registro antigo. Detalhes de pneus e aros são omitidos, entre outras informações. O Certificado de Registro I especificará somente um possível tamanho de pneu sem informações sobre aros no futuro. Combinações de rodas alternativas não são mais incluídas. Observação: o tamanho do pneu montado no seu veículo nem sempre é o mesmo do documento de registro. Nossos especialistas podem aconselhá-lo quanto às combinações de pneu-aro possíveis para o seu veículo.

Armazenamento de pneu

Os pneus devem ser armazenados em local frio, seco e longe da luz solar e de fontes de ozono, como motores elétricos. Se você precisa armazenar os pneus vazios (um em cima do outro), certifique-se de não acumular muitos em cima uns dos outros. Muito peso pode danificar o pneu do fundo. Também certifique-se de que o ar circule em torno de todos os lados dos pneus, incluindo por baixo, para evitar danos causados pela umidade. Se você armazenar pneus ao ar livre, proteja-los com uma cobertura impermeável opaca e eleve-os a partir do solo. Não guarde os pneus em ou sobre asfalto preto ou em outras superfícies de absorventes ou refletoras de calor, tais como piso coberto de neve ou areia. Solventes, combustíveis, lubrificantes e produtos químicos devem ser mantidos fora do contato com os pneus. Portadores de estepes em seu veículo não devem ser usados para armazenamento de pneus no longo prazo. Se o seu veículo tem um pneu de tamanho completo de reposição (mesmo tamanho e tipo de pneu recomendado para uso pelo fabricante do veículo, sem peças temporárias), ele deve ser incluído no padrão de rodízio do pneu.

Montagem de pneus nos aros

Nenhum condutor deve montar seus pneus nos aros sozinho. A montagem defeituosa (por exemplo, usando chaves de fenda ou ferramentas similares) pode danificar o talão do pneu ou ainda fazer com que o cabo do talão quebre. Mesmo se não houver dano externo visível, a segurança de condução reduzirá drasticamente. No pior dos casos, um pneu pode estourar, levando à falha completa. Um pneu também deve ser equilibrado para garantir o desempenho de condução ideal. Esse processo exige equipamento técnico especial.

Proteção de pneus

Pneus podem ser danificados sem a ciência do condutor. Se você descobrir ou suspeitar de danos, faça com que o pneu seja inspecionado imediatamente por um profissional de suporte de pneus. Ao dirigir sobre um obstáculo, aproxime-se lentamente – o tão próximo da perpendicular quanto for possível. Verifique seus pneus regularmente quanto a danos externos como cortes, rachaduras ou saliências.

Sobrecarga dos pneus

A sobrecarga dos pneus (velocidade excessiva ou sobrepeso) tem o mesmo efeito crítico da descalibragem, podendo causar danos irreparáveis ao pneu. Evite sobrecarregar o seu veículo. Se você pretende dirigir em conduções de carga completa/alta velocidade, ajuste a pressão do pneu segundo as recomendações do fabricante.

Limpeza de pneus

Os pneus devem ser limpos de vez em quando, e isto é particularmente importante antes da montagem ao alternar entre os pneus de Verão e de Inverno.

Não utilize qualquer tipo de agente de limpeza contendo solventes e óleos – eles podem danificar a borracha! O ideal é usar água limpa com sabão ou detergente.

Ao limpar o seu veículo com mangueiras de pressão, observe o seguinte:

Nunca limpe os pneus com um bico de jato redondo!

Mantenha uma distância mínima de 20 cm ao limpar os pneus com um bico de jato achatado ou um cortador de sujeira!

Estepes

Estepes são projetados para transportar a mesma carga que o pneu de tamanho padrão em seu veículo e podem ser aplicados em qualquer posição. Mantenha a pressão adequada, como mostrado na parte lateral do pneu; um pneu sobressalente requer uma pressão de calibragem mais elevada do que um pneu de tamanho padrão. Consulte as informações sobre a parede lateral do pneu para o uso apropriado. Com tal pneu, um veículo pode ser conduzido até que seja conveniente reparar ou substituir o pneu desativado. Faça com que seu pneu padrão seja reparado ou substituído assim logo que possível e, em seguida, devolva o pneu sobresselente temporário para o porta-malas para conservar sua rodagem. O pneu sobressalente pode ser desgastado até os indicadores de desgaste como no seu pneu padrão. Nesse momento, o pneu deve ser substituído.

Resistência de rolagem

A resistência ao rolamento refere-se à força de arraste necessária para colocar um pneu de rolamento livre em movimento. Pneus não são rígidos, mas sim flexíveis. Durante a condução, os pneus comprimem e flexionam – e esta flexão absorve energia, convertendo-a em calor. A fim de reduzir a resistência ao rolamento, os fabricantes utilizam compostos de borracha especiais. Qualquer redução na resistência ao rolamento do pneu ajuda a reduzir o consumo de combustível. Considerando que a resistência ao rolamento também aumenta com a pressão de calibragem baixa, é bom verificar a pressão dos pneus regularmente.

Compostos suaves

Estes são compostos que são particularmente flexíveis em baixas temperaturas e que são adequados para viagens na Escandinávia, na Rússia e nos países Bálticos. Os pneus transferem forças motrizes com segurança, mesmo em baixas temperaturas e em superfícies cobertas de neve e gelo. A proporção de borracha natural em compostos suaves é consideravelmente mais elevada do que em pneus de inverno normais. Assim, mesmo sob condições extremas, eles permanecem tão flexíveis que proporcionam alta tração semelhante ao pneus com pregos. Esta abordagem elimina a necessidade de pregos para que os pneus possam também ser usados onde pregos seriam menos úteis. Isto é principalmente o caso em estradas que estão livres de neve e gelo, como às vezes visto na costa do sul da Noruega.

Símbolo do floco de neve na montanha (símbolo alpino)

O símbolo alpino identifica pneus de inverno, de acordo com a regulamentação da UNECE (válidas na União Europeia e diversos outros países) e as regulamentações sobre pneus dos EUA e do Canadá. O desempenho desse pneus de inverno na neve precisa ser provado por testes objetivos e alcançar ou exceder determinados limites. Esses pneus fornecem alto desempenho em relação à segurança e ao controle na neve, em estradas com gelo ou em baixas temperaturas em geral.

Pneus com pregos

O uso de pinos de pneus foi assunto de novos regulamentos na Escandinávia a partir de 2014. Para classificar pneus em três categorias, dependendo do seu índice de carga, diversas lajes de granito devem ser atravessadas 400 vezes com pneus com pinos a 100 km/h. As lajes são pesadas e o desgaste abrasivo nas lajes é determinado antes e depois de cada teste. Os pneus são aprovados se os valores de teste caírem dentro dos limiares determinados. Esses pneus se destacam visualmente por causa do design de rodagem mais sólido – e, acima de tudo, pelos pinos. Eles fornecem aderência máxima em temperaturas extremamente baixas e em estradas cobertas por gelo e neve. No entanto, regulamentos de pinos são muito estritos: os pinos não devem sair em mais de 1,2 mm da rodagem, uma vez que romperiam, e seu peso é restrito a 1,2 g.

Convergência

A convergência descreve a distância entre as linhas centrais dos pneus em um eixo. A configuração de convergência pode ser ajustada em todos os carros. Uma vez que a maioria das rodas tende a inclinar para fora devido ao abaulamento, a maioria dos carros é configurada com uma convergência interna levemente positiva. Isso significa que as rodas são levemente mais próximas na frente do que atrás. Configurações incorretas para o seu veículo resultam no desgaste irregular. Se você notar desgaste irregular nos pneus, verifique as configurações de alinhamento do seu veículo.

Alinhamento de rodas

Um ajuste de alinhamento de rodas pode ser necessário se o veículo se inclinar para a direita ou a esquerda quando o volante estiver na posição reta. O desgaste irregular é outro indicador da necessidade de uma verificação de alinhamento.

Nitrogênio

O nitrogênio é um gás inerte (não inflamável) - basicamente, nada mais do que o ar seco com oxigênio removido. O ar ambiente contém cerca de 78% de nitrogênio. Por causa das propriedades inertes do nitrogênio, ele é frequentemente usado em aplicações de serviço de pneus altamente especializados e / ou em ambientes exigentes. Estas aplicações de serviço de pneus normalmente incluem aeronaves, mineração e uso comercial ou pesado. O nitrogênio é usado também no automobilismo profissional, envolvendo veículos em velocidades extremas. O nitrogênio seco é usado neste contexto para ajudar a reduzir as variações de pressão de pneus, em que até mesmo pequenas diferenças de pressão podem afetar o manuseio do veículo nos limites extremos de desempenho. Para aplicações que envolvem pneus de consumo corrente normais, a calibragem de pneus com nitrogênio não é necessária. No entanto, a calibragem de pneus com nitrogênio não prejudica os pneus e pode contribuir marginalmente para reduzir a perda de ar dos pneus por permeação. No entanto, o nitrogênio não vai impedir qualquer perda de ar dos pneus causada por perfurações, vazamentos da interface pneu / aro (talão), vazamentos, vazamentos da interface válvula / borda, vazamentos de rodas e outros vazamentos mecânicos. O uso de nitrogênio por si só não substitui a importância de verificar regularmente a pressão de enchimento dos pneus. Se a pressão dos pneus está abaixo da pressão indicada no cartaz do veículo, o pneu deve ser reenchido - com ar ou nitrogênio - na pressão adequada. Não opere pneus quando estão descalibrados e / ou sobrecarregados.

Abaulamento

O objetivo do abaulamento de rodas é reduzir a fricção durante curvas. O abaulamento é medido quando as rodas estão em uma superfície plana. A diferença da vertical (inclinação para dentro ou para fora do pneu) é então denominada como abaulamento positivo ou negativo.

Pneus UHP

Pneus UHP significam “ultra high performance” [ultra alto desempenho], significando alto desempenho para mais segurança com pneus mais largos. Graças a uma área de contato maior, pneus UHP oferecem melhor aderência na estrada, mais segurança e um excelente manuseio. Os principais benefícios de pneus UHP comparados a pneus padrão incluem uma distância de parada mais curta, maior estabilidade em curvas, condução precisa, melhores mudanças de ciclo de carga, conforto esportivo na direção, melhor mudança entre pistas e visual.

Revoluções por milha (RPM)

O número de revoluções de um pneu em uma milha, com dada carga, velocidade e calibragem. Também chamado de revoluções por quilômetro (RPQ).

tyre storage
Válvula

A válvula, encaixada na roda, garante que o pneu possa ser preenchido com ar. A válvula correta é necessária para a montagem de roda/pneu correta; esse é o trabalho do revendedor de pneus. A causa de uma lenta perda de pressão de ar pode ser uma válvula defeituosa. A tampa da válvula deve estar sempre encaixada na válvula para proteger o núcleo da válvula da sujeira e da umidade.

Tampa da válvula

Embora pequena, a tampa da válvula tem um papel importante: ela protege os conteúdos delicados da válvula da ação da poeira, sujeira e da umidade. Se as tampas de válvula forem perdidas, elas devem ser substituídas imediatamente para evitar danos custosos posteriormente.

Pneus reforçados ou XL (carga extra)

Pneus reforçados ou XL (carga extra) são pneus especialmente reforçados. Eles podem transportar cargas mais elevadas do que um pneu do mesmo tamanho. Pneus reforçados são identificados na lateral pelas letras “RF” e pneus de carga extra com as letras “XL”. Pneus reforçados e XL exigem pressões de calibragem mais altas em comparação com pneus padrão.

Deslocamento de água

Os sulcos de rodagem em uma superfície de um pneu formam a porção negativa da rodagem. Quando o pneu rola sobre uma superfície molhada, a água se acumula nos sulcos de rodagem e pode ser retirada da mesma forma. O deslocamento de água eficiente é muito importante para a segurança e para impedir a aquaplanagem. Rodagens de pneu gastas ou carecas, especificamente, aumentam o risco de aquaplanagem.

Pneus de Inverno

Pneus de inverno são desenvolvidos especialmente para serem usados em temperaturas baixas e para dirigir em condições invernais. Seus blocos de rodagem têm diversas lamelas que garantem aderência suficiente mesmo em ruas estreitas. O composto material também é cuidadosamente selecionado para manter os pneus elásticos no frio. Em temperaturas altas , porém, os pneus de inverno ficam suaves demais. Por esse motivo, eles não devem ser usados no verão.

Na legislação alemã (Regulação de Tráfego ou StVZO), pneus de inverno devem ser marcados com o símbolo M+S. Indivíduos buscando segurança adicional quanto às boas propriedades de condução e frenagem dos pneus de Inverno devem comprar apenas modelos com o símbolo do floco de neve. A Alemanha não estipula um momento específico no qual pneus de inverno devem ser usados. Em vez disso, motoristas têm o dever de trocar seus pneus por pneus de inverno se as condições de direção assim o exigirem. Em condições invernais (ou seja, gelo preto, neve empilhada, lama ou estradas com gelo), somente veículos com pneus M+S são permitidos nas estradas. Indivíduos que não dirigem na neve e no gelo podem, na teoria, continuar a usar pneus de verão durante o inverno. No entanto, considerando que os pneus de verão têm compostos materiais especialmente desenvolvidos para condições quentes, seu uso durante o inverno é extremamente perigoso e não é recomendado!

Equilíbrio

Em altas velocidades, pneus geram muita força centrífuga. Mesmo pequenas irregularidades de alguns gramas no pneu são multiplicadas por várias ordens de grandeza. Tais desequilíbrios exercem tensão sobre os pneus e a suspensão. Essa irregularidade de peso pode ser testada e identificada com revendedores de pneus e equilibrada ao adicionar pequenos contrapesos. Cada vez que um pneu é encaixado em uma roda, ele deve ser equilibrado.

Talão

O talão do pneu é a parte que se apoia sobre o aro. No centro do talão, há o núcleo, que compreende fios de aço embebidos em borracha. Isso fornece um assento seguro e sólido do pneu sobre o aro.

Desde 1915
General Tire. Uma marca do grupo Continental.